Saruel

Eu tava louquinha para fazer um saruel neste verão. Já havia comprado o tecido há algum tempo. Mas em Viena eu não consegui nem costurar nem cortar… nem nada. Mas aí chegando aqui no Brasil com as revistas burda que eu trouxe de baixo de braço, quer dizer dentro da mala, e aí consegui fazer aqui na mesona da binha mãe. E aí ficou prontinho, fresquinho e  super confortável.Olhem que fofo aí na foto!

Saruel

Vestido pronto!

Terminei o vestido do último post. Eu gostei do resultado. Ficou parecendo um vestido que eu tinha no Brasil. E a vantagem é que dá para usar dos dois lados a frente e também as costas virado para frente. Mesmo sem ter a máquina overlock ando melhorando bastante o meu acabamento. Tenho certeza que um dia vou conseguir comprar uma e aprender a usar. Mas enquanto a minha máquininha FIF tá dando para o gasto. Claro que se fosse uma super hipers singer também seria legal. Mas essa que tenho aqui está bem ainda. Essa semana ela me deu um susto, mas era só falta de óleo. Ainda bem qeu sem ela eu não viveria feliz. Olhem os detalhinhos. Faltou postar a bainha, mas não fotografei. Aliás preciso de agulhas duplas para máquina, a minha quebrou e não repuz.

Blusa de viscolycra – Ficou Pronta!!!

Consegui enfim terminar a blusa de viscolycra. E tive que improvisar mas consegui terminar. A única foto que ficou boa mesmo foi essa. Cheia de linha por que fiquei tão feliz por ter terminado que pendurei logo para ver. Mas também troquei o zíper bege para o vermelho. O tecido é uma variação de bege, laranja, rosa, vermelho sangue e magenta e marron. Depois que ficou pronta lembrei que o tecido lembra muito com estampas douradas do Versace, claro que nem chegam perto. Eu sou convencida, não? Mas gostei muito do resultado. Aos pouquinhos estou aprendendo os macetes da costura muito bem. E a revista ensina tudo direitinho dureza mesmo é o alemão. Agora o desafio é a capa que tá me dando um trabalho com a gola.

Tudo ao mesmo tempo

Ando com a compulsão da costura. Vou fazendo tudo ao mesmo tempo. Essa blusa é de viscolycra, com cara de verão austríaco ou outono brasiliense,talvez primavera :). Estou fazendo com um molde da revista Burda, o original é muito diferente, achei esse retalho na minha lojinha favorita na banca de ofertas, deveria ser uma saia, mas virou blusa. Infelizmente minha máquina fotográfica digital parece estar morrendo. Não consegui uma foto se quer com fogo.Queria poder mostrar melhor a blusa mas a máquina não coperou muito. Pena.

Tunicas de voil de algodão

Essas túnicas(batas) eu fiz a partir de um modelo da Revista Burda alemã. Simples como as Moda&Moldes, Figurino ou Manequim. Eu comprei um retalho de 1,50m por 1,40m de largura que custou 3 euros, esse das flores marrom, e a mesma medida em do tecido da bata rosa e amarela que foi 7 euros. E são muito fáceis de fazer. Minha mãe quando eu era pequena fazia batas de murim tingido para mim e minha irmã e na gola ela arrrematava com uma renda daquelas de bilro quem vem do Ceará.

Bata de Viscolycra

Bata viscolycra e metade de uma camiseta cortada na metade.
Bata viscolycra e metade de uma camiseta cortada na metade.

Essa foi uma idéia que tive. Acho que todo mundo consegue fazer. Foi bem simples. Comprei um retalho de viscolycra em uma loja de tecidos daqui de Viena que tinha exato um metro. É o que chamamos de fim de peça no Brasil. Aqui eles dobram e dão um desconto. O modelo da parte de baixo foi cortado como a saia do vídeo que já postei postei aqui e em seuguida recortei uma camiseta velhinha que já tinha da mesma cor do fundo do retalho. O corte foi abaixo da cava da manga. Alinhavei e depois Costurei a saia sem pala na camiseta.Fiz Bainha. Pronta para vestir. Uma amiga me deu a idéia de por uns fuxicos na blusa de cima, Eu estou pensando em como fazer. Essa bata é um work in progress. Acho que vai aaparecer aqui mais vezes. 🙂